Inscrições > Minicursos

Da sequência didática ao itinerário para o ensino da expressão oral e escrita

Prof. Dr. Joaquim Dolz (Universidade de Genebra)


Este minicurso tem como objetivo geral desenvolver as competências de pesquisa em linguística aplicada e competências profissionais dos professores de língua portuguesa. Para tanto, serão trabalhados os seguintes conteúdos: gêneros orais e escritos como instrumentos de comunicação, critérios e indicadores da avaliação e de autoavaliação do gênero, análise dos obstáculos e estratégias de desenvolvimento das capacidades de linguagem (de ação, discursivas e linguístico-discursivas orais e multimodais), normas e convenções do gênero e busca de estratégias e estilo pessoal e sequências didáticas e itinerários para o ensino.

Condições para poder se inscrever:

Enviar uma produção escrita ou uma gravação oral de 10 minutos de um aluno. As produções escritas e as gravações orais deverão ser enviadas em formato mp4 até o dia 7 de novembro aos organizadores do minicurso através do e-mail: gelne@gelne.com.br




Mundos possíveis, mundo expandidos: Literatura enriquecida em tempos digitais

Dr. Jaime Alejandro Rodriguez Ruiz (Pontifícia Universidade Javeriana - Colômbia)


O principal objetivo do minicurso será propor uma abordagem dos processos de leitura e criação literária levando em conta as experiencias e possibilidades da era digital. O curso estará dividido em tres momentos distintos. No primeiro, se fará uma apresentação dos conceitos de mundos possíveis e mundos expandidos. No segundo, divididos em grupos de trabalho, desenvolveremos uma oficina prática de criação literária com base no conceito de narrativas expandidas. No terceiro e ultimo momento, teremos a apresentação dos trabalhos desenvolvidos, bem como um momento para comentários e avaliação do minicurso. 




A gramática do português revelada em textos

Drª Maria Helena de Moura Neves (UNESP/UPM/CNPq)


O curso se dirige pela noção de que o estudo da gramática da língua portuguesa pode e deve centrar-se em reflexões sobre a linguagem nas diferentes situações de uso, nos diferentes gêneros discursivos e nos diferentes tipos de texto. A diretriz central é refletir sobre  os processos gramaticais de constituição do enunciado a partir de textos reais.




Olimpíada de Linguística e uma pedagogia voltada para a autonomia

Bruno L’Astorina (Coordenador da Olimpíada Brasileira de Linguística)


As línguas, enquanto instrumentos de dominação, identificação e afirmação, são comumente objetos de disputa social envolvendo muitos atores. Em nosso país, muitas línguas se veem envolvidas nesse complexo processo social: não só a língua portuguesa, mas também as línguas indígenas, de imigrantes e de sinais. Embora a Linguística tenha uma voz fundamental nesse campo, frequentemente os linguistas não ocupam os espaços cabíveis na divulgação e no ensino da sua ciência, em especial nas escolas. Um instrumento possível para contribuir com o ensino são as Olimpíadas de Linguística, surgidas na academia russa na década de 1960, dentro do contexto das demais olimpíadas de conhecimento e do que hoje é chamado de pedagogia baseada em problemas. Problemas de linguística são potencialmente centrais em uma educação multidisciplinar, porque convergem o desenvolvimento das habilidades comunicativas de cognição e estruturação (abordada na escola pelas matérias “Exatas”) e a sensibilização da diversidade cultural e social do mundo humano (aborda de na escola pelas Ciências Humanas e pelas Artes).Neste minicurso, abordaremos temas como: História e concepção das olimpíadas de linguística no mundo; Estrutura e funcionamento da Olimpíada Brasileira de Linguística, e como criar pontes concretas de pesquisa, ensino e extensão nas diferentes universidades; Pedagogia baseada em problemas e pedagogia olímpica: uma visão de ensino voltada à autonomia; O gênero "problemas auto-suficientes de linguística": como compor, testar e resolver?




Oficina para falantes de Francês Língua Estrangeira

Drª Annie Rouxel (Universidade Bordeaux 4)
Drª Nathalie Rannou (Université Rennes 2) ()


La césure épistémologique liée à l’avènement du sujet lecteur et sa portée sur la mise en œuvre didactique. Enseigner des lectures créatives de poésie à l’heure du numérique. A pausa epistemológica  ligada à ascensão do sujeito leitor e seu alcance na aplicação didática. Ensinar leituras criativas de poesias na era digital.




As especificidades gramaticais do português brasileiro

Dr. Marcos Bagno (UnB)


O português brasileiro se distingue dentro do conjunto maior das línguas românicas por características exclusivas no nível da morfossintaxe. Há um esforço cada vez maior para a descrição acurada e a análise teoricamente bem fundamentada dessas característica. O curso pretende expor essas peculiaridades morfossintáticas, analisá-las sob a ótica da gramaticalização e dos contatos linguísticos e reivindicar seu lugar de direito no ensino de língua.




A fábula na literatura árabe antiga

Dr. Mamede Mustafá Jarouche (USP)


O curso abordará os usos dessa forma milenar de narrativa na cultura árabe em seu período clássico. Como seria de se prever, a fábula tem uma função estratégica no conjunto da literatura árabe.




Análise de textos e gêneros textuais em perspectivainteracionista: dimensões e categorias

Drª Florencia Miranda (Universidade Nacional de Rosário)


Nas últimas décadas, as noções de “texto” e de “gênero” (textual ou discursivo, conforme as perspectivas) foram ganhando um lugar cada vez mais central nos estudos linguísticos e, também, no ensino de línguas (maternas e/ou estrangeiras). De fato, já não parece necessário argumentar sobre os motivos que justificam a análise de textos e gêneros ou o trabalho com textos diversos nas aulas de língua. Contudo, a noção de texto e a noção de gênero não são estáveis e unívocas; de maneira que não existe uma única forma de abordar esses objetos. Nesse minicurso, propomos discutir a noção de texto e a noção de gênero textual no quadro de uma perspectivainteracionista da linguagem. Além de definir as noções, abordaremos diferentes dimensões de análise que podem ser objeto de pesquisa e de trabalho didático. O objetivo, então, é identificar e explorar níveis e categorias de análise que possam ser relevantes para a caracterização de textos e gêneros diversos, com ênfase em gêneros do quotidiano. Para isso, o minicurso propõe um espaço de exploração prática a partir de um conjunto de textos em português previamente selecionados.




A narração da dor em duas escritoras africanas

Dr. Zuleide Duarte (UEPB)